Em tempos que a conta de luz não para de subir, cada vez mais os consumidores buscam alternativas para diminuir as despesas com energia elétrica. Isso já dá pra imaginar. Graças às novas tecnologias e melhores condições de financiamento, a instalação de sistemas para produção própria tornou a energia solar uma alternativa atraente mesmo para famílias que não têm uma renda mensal tão alta. Dependendo do consumidor, hoje é possível adquirir sistemas fotovoltaicos a partir de R$ 13 mil, com condições de financiamento de até seis anos. Ainda se trata de um investimento inicial alto, mas novas soluções estão surgindo no mercado para diminuir o custo total ou o tempo de retorno para o consumidor. E agora que um novo ano se inicia, talvez este seja um caminho interessante para repensar não apenas as finanças, mas também a relação que se tem com o meio-ambiente e as formas tradicionais de geração de energia. Não é a hora certa para pensar em uma mudança? Para quem compensa? Uma das alternativas hoje é o aluguel ou compartilhamento de painéis solares com outras famílias ou por meio de cooperativas, por exemplo. A tendência é que, com os avanços tecnológicos e possibilidades como a mencionada acima, o custo diminua nos próximos anos, tornando a energia solar acessível a um número cada vez maior de pessoas, e trazendo um novo perfil de consumidor para o setor. A instalação de painéis solares não elimina completamente a conta de energia elétrica, mas a economia em alguns casos pode chegar a 99%. Quem mais se beneficia atualmente é o consumidor cuja conta de luz ultrapassa os R$ 500.

Aqueles que têm um consumo menor, em torno dos R$ 100 a R$ 200, demoram mais para ter um retorno significativo do investimento, pois ainda precisam pagar o consumo mínimo de 30kW na geração distribuída.

Espaço para crescer

Ainda se vê uma desigualdade nas condições de compra e instalação dos equipamentos. Esta é uma das razões de uma região como o Nordeste, que tem altíssimo potencial de geração devido à incidência solar, não ter um setor tão consolidado como na região Sul atualmente.

Mas está se desenvolvendo. No Ceará, por exemplo, viu-se um aumento significativo do uso de sistemas fotovoltaicos na última década. O estado do Ceará, por exemplo, em cinco anos foi de apenas 335 unidades consumidoras de energia solar para 20.060!

O Sol brilha para todos

A energia solar é uma fonte extremamente democrática em termos de matéria-prima. No entanto, hoje não é qualquer residência ou perfil de consumo que se beneficia da energia solar. O que podemos observar é que com novos recursos e incentivos, cada vez mais pessoas poderão optar pela energia solar.

O planeta agradece – e possivelmente, o seu bolso também.

Relevant Topics